04 jan 2018

#MaisLidas2017 – n. 5: Depressão e estresse geram afastamento do trabalho

Nenhum comentário.
Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Falta de motivação, mudanças de humor, tristeza, transtornos neuróticos, alterações do sono e o uso de substâncias psicoativas, como o álcool e drogas, estão entre as principais doenças que causam incapacidade para o trabalho no Brasil.

Segundo especialistas, esses sintomas são responsáveis pela depressão e síndromes, como a do pânico, doenças que afetam profundamente a qualidade de vida do trabalhador.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a depressão é uma das doenças das mais frequentes na população mundial, sendo uma das maiores questões de saúde pública atualmente.

Doutor em Direito do Trabalho, o professor da PUC-SP Ricardo Pereira de Freitas Guimarães observa que se tornou cada vez mais comum o afastamento do trabalhador em razão de quadros depressivos e síndromes provocados pelo estresse e exaustão, como a do pânico e a de Burnout.

Esse foi o tema da quinta matéria mais lida do SaudeOcupacional.org em 2017. Leia-a na íntegra, clique AQUI.

Assine a newsletter
saudeocupacional.org

Receba o conteúdo em primeira mão.